Braga

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Meu tempo mudou.
Meu espaço também.
Ao tempo, lhe adicionei 3 horas.
Ao espaço, adicionei a distância.

Ah, Portugal...
Quero provar do teu sabor
Comer o teu melhor bacalhau
E encontrar em ti, um amor

Quero sentir a brisa gelada congelar o meu nariz
Alimentar as pombas da Praça das Laranjeiras
Dá um beijo em frente ao chafariz
E vagar nas noites frias, e acordar com olheiras

Quero olhar sempre riscos luminosos no céu
Observar a mudança das árvores em cada estação
Comer Pastéis de Belém na padaria do seu Manuel
E usar de teus encantos a minha inspiração

Quero caminhar pelo asfalto acinzentado feito de pedrinhas
Ouvir o barulho dos carros de polícia vindo da avenida
Comprar coisas antigas nas feirinhas
E ficar feliz, por ti, ter sido acolhida

Quero participar do balé dos guarda-chuvas ao chover
Enviar cartas na caixa de correio, que parecem irmão mais velho do hidrante
Que essas cartas mostrem o quão bela és, Portugal, a meu ver
Nesta cabeça que se diz inconstante

Quero carregar comigo toda tua bagagem
Passear pelo centro e conhecer tua história
Conhecer dos teus filhos, vossa linguagem
E guardar-te em minha memória.

5 escritos:

Charlatões disse...

fantástico. like u.


só uma estrofe me causa um ciúme, que não gosto.e é reciproco.

*Raíssa disse...

Já queria conhecer Portugal, agora o quero mais ainda.

Beijos

Rafael disse...

Porra, e foi com frequencia :|
Ainda n li nada, mas qdo eu me estruturar eu leio.
=*

Borges Júnior disse...

ah, as portuguesas... e as brasi-portuguesas... e as turuland-portuguesas...

sæglópur disse...

inveja :T
quero morar em cidades grandes e vastas novamente, sentir o verdadeiro 1 mundo fluindo e correndo na pele :T