Nada

quinta-feira, 19 de março de 2009

Toda adaptação é difícil
Pra pelo menos uma só pessoa
Mas é difícil.
Não reclamo
Mas não escondo minha tristeza
Tenho os olhos assustados
Sempre prestes a desabar
Minha voz é calada, trêmula
Preciso parar de prender o choro
Preciso desabafar
Preciso do teu abraço,
Encostar meu queixo no teu ombro
E não dizer nada...
Só ouvir o barulho da minha respiração
E me sentir protegida

Não ando só
Ando com a solidão, eu e ela
De mãos dadas
Passeando, perdidos...

Sei que vai passar
Mas nessas horas...
- Onde está seu otimismo?
Ele está ali, por último...
Como a esperança na caixa de Pandora.

Dois dias
Suficientes pra eu perder o brilho dos meus olhos
E andar, triste e só
Triste, enfim.

2 escritos:

Charlatões disse...

nossa melhor companhia, somos nós mesmos :)

Alfredo Goes disse...

Tudo é uma lombra.
Senti-la ou não é uma questão de sensibilidade.