O Casório

domingo, 26 de abril de 2009







Num pequeno vilarejo do Maranhão
Moravam pessoas de bom coração
Vilarejo este onde todos de conheciam
E namorar à vontade nem todos podiam

Casamentos todos os dias aconteciam
Mas nem sempre os casais se mereciam
O padre Onório atormentado com tanto casório
Saiu da pequena cidade rumo ao sanatório

Com a ausência do padre, o povo se entristeceu
E com sua falta, casamento nenhum aconteceu
Para resolver o problema fizeram uma reunião
Com idéias reunidas encontraram uma solução

No vilarejo vizinho muitos padres haviam
Tão bom quanto Onório todos desconheciam
Agoniados e aflitos de tanto procurar
Deixaram e deixaram o tempo passar

De tanto esperar, os noivados estavam para acabar
As noivas desesperadas sem saber se iam casar
Mas como nenhum padre queriam
A solução se foi e casamentos não haviam

Mais um dia naquele vilarejo se passou
E o sorriso no rosto de todos brotou
O padre Onório reapareceu
E logo um casamento aconteceu

Com a volta do padre, uma festa aconteceu
Organizada pela igreja pois padre Onório mereceu
Os moradores muito alegres comemoravam
E no vilarejo todos agradecidos estavam

Casamentos era o que não faltavam mais
Mas Padre Onório não reclamava jamais
Todos estavam muito felizes e satisfeitos
E seus casamentos foram mais que perfeitos

Florentina moça bonita, namora com Chicão
E namoradinhos desde criança eles são
O casório dos dois era o mais esperado
E de tanto esperar já estavam agoniados

O noivo Chicão não sabia o que vestir
Então foi no alfaiate se decidir
Foi a mãe da noiva que o vestido fez
E bonito ficou pois ele era xadrez

Padre Onório feliz da vida ficou
Pois fará o casamento de sempre desejou
O tão esperado casório ia acontecer
As famílias faziam gosto de comparecer

Com tudo decidido e preparado
O casamento foi celebrado
E depois da celebração
Todos foram se divertir em um festão

Alguns meses então se passaram
E as festas por lá não acabaram
Pois era época de carnaval em fevereiro
E fizeram um baile para quem fosse solteiro

Todos do baile estavam mascarados
Pois casamentos poderiam ser acabados
O Chicão falou que iria viajar
E com saudades de Florentina iria ficar

Aproveitando a viagem do marido
Florentina no baile de mascaras teria ido
Conheceu um rapaz de quem muito gostou
E quase no fim da festa um beijo rolou

Para verem seus rostos às mascaras tiraram
E todos os dois surpresos ficaram
Florentina olhou para o seu marido Chicão
E os dois ficaram inconformados com a dupla traição.

27.02.2007 - em forma de cordel :)

3 escritos:

Jéssica Bittencourt disse...

muito bom!
de muito bom gosto!

Fanfarrão disse...

Que legal. HAHA!
E divertido (:

Paulo César di Linharez disse...

hehehe bem legal o desfecho
Dupla traição!