Relacionando

domingo, 30 de setembro de 2007

Não importa a sua idade e quantas pessoas já passaram na sua vida, talvez você até não acredite, mas a vontade de encontrar o "amor da sua vida", todos temos. Eu sei que lá no fundo todos têm essa vontade, mesmo dizendo que nunca vão achar alguém, ou que nunca vão casar. Acho que a cada dia que passa a maioria acaba tendo um empobrecimento amoroso, seja lá por quais inúmeros motivos. O fato é que talvez, esses motivos, são descontados de uma forma devastadora, uns sofrem mais e se relacionam menos, outros sofrem menos e se relacionam mais. Deve ser isso que nos dá uma tal repressão, assim, nos iludimos mais, nos entregamos menos, e sofremos mais ou menos.

Assim, relacionamento é um campo minado, com um pé de rosas vermelhas na "linha de chegada". Temos que ir com cuidado, ir pelo caminho certo, sem pressa, pra nenhuma das minas nos acertarem pelo caminho, e não nos machucar, nos fazer sofrer, mas às vezes há algumas minas que nos acertam, então cuidamos das feridas, e quando elas cicatrizam, podemos tentar ou não chegar até o pé de rosas, com muita cautela, para que as feridas não sejam refeitas. Mas quando chegamos ao pé de rosas vermelhas, ainda temos outra prova: cuidar do pé de rosas pra que ele sempre exista, que não morra, que ninguém o destrua. Que ao manuseá-lo tenhamos cuidado para que os espinhos daquele delicado pé de rosas vermelhas não nos machuquem. Às vezes o problema está nas próprias rosas, que vão aos poucos perdendo a cor e o encanto, murchando, chegando a um fim. Mas quem cuida do pé de rosas com carinho e dedicação, ela cresce, cresce tanto, em uma proporção infinita, onde nem
o céu é mais o limite, assim como um sentimento denominado amor.

2 escritos:

ludmila disse...

Um dos nossos maiores cliches é tentar entender as coisas. Principalmente o amor.

Não dá pra ter um manual de instruçoes. Voce apenas arrecada algumas experiencias ao longo do tempo.
Mas com o tempo, o que nao arrecadamos?

É be isso mesmo que voce disse.Ter cuimdado (ou nao).
O problema nao é o campo estar minado, é pararmos de andar com medo de ser atingido sem nem ser.

O baque maior ja nos atingiu.

Acredito que como pagar imposto de renda, criar rugas e sentar no sofa aos domingos pra ver faustao o amor também é assim. Ninguém escapa ;)

Júnior Borges (ou Borges Júnior) disse...

Tu não sabes o quanto eu acabei de conversar sobre isso com uma amiga.
Pior é que não sabe mesmo hahaua
:P

love is life unbound :)